A muito tempo Scarlet Nexus estava na minha lista de espera, não era uma prioridade, mas em algum dia eu planejava joga-lo. Com uma lacuna na minha agenda de joguinhos e sem esperar muita coisa decidi ver qual era a dele. Sendo totalmente sincero, eu achava que ele seria um joguinho genérico no estilo anime, mas eu me surpreendi.

Scalet Nexus é um hack and slash bem menos enérgico que os principais do gênero e com um grande foco na história e nos personagens.

A história se passa em um futuro distante onde os humanos possuem poderes gerados pelo cérebro e a humanidade é constantemente atacada por criaturas monstruosas.

Mesmo com essa ameaça, a humanidade se desenvolveu, tendo grandes cidades, tecnologia avançada e conforto. Os humanos possuem até um sistema de previsão de ataques dessas criaturas e uma força especial para aniquilar esses monstros bizarros.

Aqui temos dois protagonistas, Yiuto Sumeragi e Kasane Randall, os dois possuem o poder de psicocinese, poder mover objetos com a mente, inclusive esse é um dos pontos principais da trama.

Falando em história, ela é dividida em duas partes, uma mostra o ponto de vista de Yuito e outra de Kasane. A campanha de cada um dura um pouco mais de 20 horas. Dá sim para terminar só com um personagem, mas para compreender toda história é bom jogar com os dois.

Ela é uma história bem complexa e envolve temas bem atuais, mas não vou me aprofundar, vai que você ainda não jogou ou não assistiu o anime. Não quero estragar a sua experiência.

Antes de falar sobre o combate, é importante comentar sobre a parte social, já que ela tem grande importância na trama e no combate. Sendo mais direto, o vínculo com seus companheiros é o coração de Scarlet Nexus.

Antes de mais nada é bom adiantar que esse jogo tem muito diálogo, muito diálogo mesmo, pode ser até um pouco cansativo para quem só buscava ação. Os seus diálogos são interessantes e em sua maioria é para nos apresentar melhor os personagens. O problema e que tem trechos que você termina um diálogo anda um pouco e se inicia outro bem longo.

Entre cada fase acontece o interlúdio, onde é possível revisitar mapas, concluir alguns desafios e principalmente socializar com seus camaradas. Em cada episódio de conversa com os aliados é mostrado muito mais sobre eles. Você passa a entender o motivo deles serem como são, seus problemas e vê sua evolução no decorrer do tempo.

Para subir seu nível de vínculo, além de conversar, você deverá dar presentes aos seus amigos. Esses itens ficam decorando a parte deles no esconderijo e eles até interagem com alguns. Quando sobem de nível, além deles também te presentearem, eles te dão acesso a novos recursos e melhorias nas habilidades de vínculo.

Agora falando sobre combate, Scalet Nexus é um hack and slash com um ritmo mais lento e sistema mais restritivo que os outros do gênero.

Mesmo não sendo tão intenso quanto um Devil May Cry, ou Bayonatta, é possível explorar bastante os seus recursos de combate e criar combos extensos e criativos.

A gameplay de Yuito e Kasane são bem diferentes, com o Yuito utilizando uma katana e ataca a curta distância, e Kasane utilizando várias lâminas controladas pelo seu poder atacando a longa distância.

O grande tempero do combate são as mecânicas de vínculo, que é chamada de SAS. Com ela você pode pegar emprestado os poderes dos seus companheiros, e como eu já disse, o número de habilidades aumenta de acordo com o seu nível de amizade com eles.

Os primeiros poderes de vínculo que você tem acesso são power ups que te dão aumento de dano, desacelerar o tempo, poder teleportar e vários outros. Esses power ups são a verdadeira alma do combate de Scarlet Nexus. Melhor ainda é combinar os efeitos dessas habilidades para criar combos devastadores e de forma estratégica contra certos inimigos.

Existem outros tipos de habilidades ligadas à sua proximidade com cada companheiro, como eles te protegerem de um dano em um determinado momento, poder chamá-los para executar um ataque em uma determinada situação e muito mais, porém esses power ups tomam todos os holofotes e são as grandes estrelas das batalhas.

Para deixar o combate ainda mais estratégico temos os status negativos, que podemos usar para abrir a guarda dos os inimigos e que também devemos ficar atentos para não ser vítima deles.

Com os poderes psiônicos, Yuito e Kasane podem arremessar objetos durante a luta. Eles dão um bom dano e são bem fáceis de ser utilizados em combos. Existem também itens especiais no cenário que quando acertam um inimigo iniciam um quick time event e uns que podemos controlar livremente, como um ônibus e uma retroescavadeira.

Contamos com a ajuda dos nossos aliados durante as lutas, podemos comprar equipamentos melhores e até colocar itens cosméticos neles. Somente dois podem participar da ação e os escolhidos concedem um carregamento mais rápido da barra de poder referente a eles.

Você pode decidir se eles lutarão de forma mais agressiva ou defensiva. Tirando a parte do bônus nos poderes, os aliados não tem tanta importância durante os embates.

Existem duas mecânicas que ampliam as habilidades do personagem: O Foco Cerebral, que é ativado quando a barra de foco está completa, e o Campo Cerebral, que é uma mecânica emergencial que te deixa mega poderoso. O interessante do Campo Cerebral é que ele deve ser usado com atenção, se não for desativado antes do tempo se esgotar você morre. Mas dificilmente isso vai acontecer.

Mesmo com um combate encorpado e dinâmico, Scalet Nexus foi pecar logo na mira. Ela é tão problemática que para trocar de alvo, que na maioria dos jogos é só dar um toquinho para o lado com o analógico direito, já aqui é necessário segurar R1/RB antes de executar a ação com o analógico.

Por conta dos muitos diálogos a história pode se tornar até um pouco cansativa, ainda mais por ser recomendado jogar duas campanhas que somadas dão entrono de 40 horas, mas as grandes revelações que a história apresenta conseguem te gerar a dose certa de curiosidade para te manter no jogo.

Jogar a campanha com outro personagem não é só acompanhar a história por outros olhos, mas também te traz uma nova perspectiva dos aliados. Descobrimos coisas sobre eles nos episódios de vínculo que não descobrimos na outra campanha.

Os cenários de Scarlet Nexus são bem bonitos e detalhados, destacando aqui a cidade de Nova Himuka e suas diversas construções e propagandas. Vale comentar também o designer das criaturas, que mistura detalhes de seres vivos com objetos. Os pontos negativos da parte visual são os personagens sem importância que aparecem em alguns trechos. São como figurantes que fazem vários papéis.

Em um trecho de uma missão de vínculo apareceu uma doutora que precisava de ajuda, já em outra missão de vínculo, vi uma mulher desesperada querendo salvar o filho com o mesmo modelo de personagem. Sabe qual é o pior? O modelo do marido dela foi reaproveitado em uma outra missão de vínculo. Isso se repete muito, principalmente em missões sem muita importância.

O grande defeito de Scalet Nexus é sua repetição de cenário. Parece que a Bandai Nanco não quis por grana para criar mais. Para contornar isso, nós temos que revisitar locais várias vezes, seja na campanha principal ou em alguma missão de vínculo.

Veredito

Scalet Nexus é um ótimo jogo, mas você deve saber aonde está se metendo. Ele é um jogo com uma história incrível, ele constrói muito bem os personagens no decorrer dos acontecimentos e tem uma gameplay bem divertida. Mais ainda sim ele possui defeitos como a mira problemática, muitos diálogos e muito reaproveitamento de locais.

Se você curte um bom hack and slash e não liga para longos diálogos, dê uma chance a Scarlet Nexus.

Avaliação: 3.5 de 5.

Scalet Nexus está disponível para PS4, PS5, XOne, Series S/X e PC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s