Na grande industria dos jogos exitem diversas figuras importantes, mas que não são muito de aparecer. Uma delas é o grande mestre dos jogos de luta Takashi Nishiyama. Ele foi responsável por franquias como Street Fighter, Fatal Fury, King of Fighters e ajudou a ressuscitar os jogos de luta na 7° geração de consoles.

Aqui no Esquilo Biônico mostraremos um pouco da trajetória de uma das pessoas mais importantes, se não a mais importante para os jogos de luta e que fez história na Capcom e na SNK.

O início de sua carreira

No início Nishiyama não tinha pretensão de trabalhar com jogos eletrônicos, na verdade ele almejava ser um jornalista, mas tudo mudou quando conseguiu um emprego de meio período na Irem Corporation (atual Irem Software Engineering). Uma empresa fundada por Kenso Tsujimoto, que anos depois fundou a Capcom.

Um certo dia, o jovem Nishiyama entregou um documento conceitual de um game para o seu supervisor que o elogiou e o recomendou que se dedica-se na criação de jogos.

O seu primeiro projeto foi Uniwar S lançado em 1980, criado na mesma placa de arcade do clássico Galaxian da Nanco. O game acabou não fazendo tanto sucesso por não oferecer nenhuma novidade para o diferenciá-lo dos inúmeros jogos de “navinha” (shoot em up) que existiam no mercado.

Gameplay de Uniwar S
Uniwar S

Depois do fiasco de Uniwar S, Nishiyama criou Moon Patrol em 1982. Esse foi um dos primeiros jogos ao usarem a técnica gráfica rolagem parallax. Onde a imagem de fundo se move mais devagar dando uma impressão de profundidade. Moon Patrol obteve um grande sucesso, principalmente no ocidente onde foi publicado pela Willians e ganhou portes para os consoles da época.

Maquina de arcade de Moon Patrol
Arcade de Moon Patrol

Em 1984 é lançado Kung Fu Master (Spartan X no Japão), um dos projetos mais inovadores da carreira de Nishiyama. Esse game detêm o título de pai dos Beat em up, os famosos briga de rua. Foi ele que criou os alicerces para o surgimento de franquias com Double Dragon e Final Fight.

Gameplay de Kung Fu Master
Kung Fu Master

Seguindo seu amigo Kenso Tsujimoto, Nhishiyama foi trabalhar na Capcom, e lá seus primeiros projetos foram Section Z de 1985 e Legendary Wings de 1986.

Com o pretensão de criar uma continuação espiritual para Kung Fu Master com foco no combate 1 contra 1 e com uma história mais densa. Nishiyama somando forças com seu amigo Hiroshy Matsumoto criou uma das franquias mais tradicionais do mundo dos jogos. Assim nasceu Street Fighter em 30 de agosto de 1987.

O primeiro jogo de Ryu e companhia acabou não fazendo tanto sucesso com o publico, mas ele já trazia inovações que até hoje são padrão na franquia como os botões de soco e chute divididos entre fraco, médio e forte, e os tradicionais golpes especiais. Os únicos personagens jogáveis eram Ryu (player 1) e Ken (player 2). Toda a lista de movimento dos dois eram a mesma.

Ryu e Ken em uma gameplay de Street Fighter
Street Fighter

A inspiração para cria o icônico “hadouken” veio do canhão de ondas “hadouho” do anime “Space Batlleship Yamato”. Segundo Nishiyama, o “Shoryuken” e o “Tatsumaki Senpuu Kyaku” são apenas verões exageradas de golpes de Karatê.

Já se perguntou o porquê Ryu tem esse nome? O primeiro símbolo chinês usado para soletrar “Takashi” também pode ser pronunciado como “Ryu”.

Ainda na Capcom, Nishiyama trabalhou como produtor do primeiro Mega Man junto de seu amigo Kenji Inafume.

Tempos Gloriosos de SNK

Por conta de divergências criativas, Nishiyama partiu para SNK, onde ajudou a criar a placa de arcade Neo Geo MVS. Na época, cada jogo de arcade tinha sua máquina própria e isso tornava o processo de troca mais trabalhoso, já que pra isso era necessário trocar a máquina.

Tendo isso em mente, Nishiyma deu a ideia das máquinas de arcade funcionarem como consoles de mesa a base de cartuchos, tornando o processo de troca de jogos mais simples e barato.

Uma maquina de arcade Neo Geo MVS
Neo Geo MVS

Com total liberdade na SNK, Nhiyama decidiu criar uma continuação espiritual de Street Fighter, isso antes do lançamento de Street Fighter II. Assim nasceu Fatal Fury: King of Fighters em 1991, um dos games mais importantes da história da SNK. Na época, algumas pessoas comentavam que Fatal Fury era só uma cópia de Street Fighter, mas não sabiam que as duas franquias foram criadas pela mesma pessoa.

Ainda na SNK, Nishiyama trabalhou como produtor de The King of Fighters 94, 97, 98, 99, Metal Slug 3, SNK vs Capcom: The Match of the Millennium e em mais alguns jogos da franquia Fatal Fury.

Gameplay de Fatal Fury 1w
Fatal Fury: King Fighters

Um novo começo

Em março de 2000, com a SNK passando por problemas internos e financeiros, Nishiyam decidiu se demitir e iniciou sua própria desenvolvedora, a Sekiac, que contava também com alguns ex-funcionários da SNK. Mais tarde, a Sekiac teve 10% de suas ações compradas pela SEGA. 13% comprado pela Sony Computer Entertainmet e 51% comprado pela Sammy (que mais tarde se fundiu a SEGA). Com isso, a Sekiac trocou de nome para Dimps, que significa “Digital Multi-Platforms” que em português fica Multiplataformas digitais.

A Dimps tem trabalhos com Bandai Nanco, SEGA, e Square Enix. Alguns dos jogos desenvolvidos com essas parcerias foram Sonic Advanced de Game Boy Advanced, Dragon Ball Z Budokai e Xenoverse.

Funcionários da Dimps reunidos
Funcionários da Dimps reunidos

Em um período onde os jogos de luta 2D não causavam mais tanto impacto no mercado, Kenji Inafume teve a ideia de desenvolver um novo Street Fighter.

Os excutivos da Capcom acreditavam que não tinha como montar uma boa equipe interna para assumir o projeto. Foi aí que Inafume recomendou que o projeto fosse passado para mãos da Dimps. Os chefões da Capcom abraçaram a ideia e em junho de 2008 foi lançado nos arcades Street Fighter IV.

Depois de 9 anos na geladeira, a franquia mais importante dos jogos de luta retornava, mas dessa vez com seu criador como produtor executivo.

Street Fighter IV foi um sucesso absoluto e acabou sendo o responsável por resgatar o prestigio dos jogos de luta 2D. A Dimps ainda trabalhou em Street Fighter x Tekken, Street Fighter V e Soul Calibur IV.

Sem querer aparecer, Nishiyama fez muito pela indústria dos jogos, em especial a dos jogos de luta, estando envolvido na criação dos principais pilares do gênero e também resgatando seu prestígio.

Espero que tenham gostado e já adianto que aqui no Esquilo Biônico haverão mais artigos voltados a apresentar o trabalho de pessoas importantes na indústria. Tem alguma a dica de conteúdo? Deixe aí nos comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s